Tudo começou quando um brother meu tinha feito um curso de massagem oriental, tipo shiatsu e estava me falando que precisava de gente para praticar e tal.
Falei que minha namorada sempre tinha dores nas pernas e as vezes nas costas, e que talvez pudesse ser uma boa pros dois. Ele disse que por ele tudo bem.

Falei com ela, que no começo não curtiu muito a ideia, mas que ia pensar. Ela falava que preferiria que fosse alguém desconhecido e tal, mas ao mesmo tempo essas coisas custam caro e ela tava cansada de ter essas dores. Depois de um tempo comigo insistindo, ainda mais porque eu estava gostando da ideia, ela aceitou e fomos na casa dele, pois ele tinha a maca e os cremes mais especializados para massagem.

Entramos, e ele disse pra ela que eu contei sobre as dores que ela tinha e que ele ia fazer o máximo para ajudar, e que para ele seria bom poder praticar.
Ele pediu pra ela tirar a roupa e ficar de calcinha e sutiã. Deu pra ela uma toalha e falou pra ela deitar na maca de costas pra cima. Mesmo ela achando aquilo meio estranho, ele se mostrou profissional, pois saiu do quarto para ela se trocar. Eu fiquei lá com ela e falei que tudo ok, para ela relaxar.
Então, ela fez o que ele pediu: tirou a roupa e deitou na maca, se enrolando na toalha. Confesso que fiquei meio enciumado, mas gostei da sensação de ter outro homem na casa, mesmo que fosse apenas uma massagem. Apenas reparei que a calcinha dela era um pouquinho curta demais, mas pensei que ele nem chegaria a ver.

Eu sentei em uma cadeira que estava bem perto da maca, em diagonal a eles.

Ele entrou no quarto, pegou seus cremes, e foi até a maca. Ele abaixou a toalha até a área do quadril, para que ela ficasse com as costas livres e abriu o sutiã. Então ele passou creme nas mãos e começou a fazer a massagem. Ele estava de calça e camiseta.
Começou pelas costas e ombros. Fez nos braços e mãos. Eu vi que ela estava começando a ficar bem relaxada e fiquei lá olhando. Também confesso que comecei a me excitar com aquilo, mas nada muito forte. Era interessante vê-la sendo tocada.
Quando ele chegava no final das costas, as mãos dele encostavam na toalha, que já estava bem perto da calcinha. Então ele pulava o bum bum, e ia para as pernas, onde ela falou que tinha mais dor. Ele passou mais creme, e começou a massagear a parte de trás das coxas, panturrilha e foi para os pés, que ele ficou massageando por um bom tempo. Aí sim eu comecei a gostar, pois AMO os pés dela e foi gostoso ver outro homem massageando eles.
Nessa hora eu me mexi melhor na cadeira, para poder facilitar minha ereção. Meu pau estava começando a ficar duro, e não sei se ele percebeu ou não.

Após massagear os pés, ele voltou a trabalhar nas pernas dela. Com as duas mãos, ele ia fazendo movimentos circulatórios nas panturrilhas. Quando ele chegou na parte de trás das coxas, as mãos dele começaram a deslizar para a parte interna, e lá também ele ficou por um tempo. Cada passada de mão, a toalha subia um pouco, e de onde eu estava, já meio que deu pra ver a polpa da bundinha dela… Isso me deixou mais excitado, e de novo eu dei uma ajeitada no pau. Desta vez eu acho que ele percebeu, mas não demonstrou.

Leia também:  Contos eróticos: Fiz anal com a minha cunhada

Quando ele voltou para as costas, repetiu todos os movimentos, só que levantou os braços dela e os apoiou em cima da cabeça… Isso fez com que a lateral dos seios dela aparecesse, mesmo com o sutiã. Então ele passou a massagear a lateral do corpo dela, e de vez em quando, tocava essa parte dos seios. Ela estava bem relaxada, e não pareceu se importar com esses toques. Ele repetiu os movimentos algumas vezes, e foi novamente para os pés.

Desta vez, ele segurou um dos pés dela pra cima, e fez uma super massagem. E eu vi que ele se encostou na maca, o que fez com que o outro pé dela encostasse no pau dele. Ela tirou o pé, mas ele colocou de volta no pau dele. Antes que ela tentasse tirar, ele desceu o pé que estava massageando, colocou na maca e levantou o outro. E mais uma vez ele encostou o pau no outro pé. Desta vez parece que ela não ligou. Agora, neste pé, ele ficou mais tempo, para poder aproveitar o outro encostado nele. Depois, ele o colocou de volta na maca, e gentilmente afastou as pernas dela, para que pudesse ter mais liberdade na parte interna nas coxas.

Ele colocou mais creme nas mãos e foi para um dos lados da maca, ficando na minha frente, de costas para mim. Assim eu não podia ver exatamente o que ele fazia. Ele trabalhou a perna toda dela, até chegar muito perto da polpa e da entrada da bucetinha dela. Apenas via as mãos dele fazendo movimentos bem fortes na parte interna da coxa. E ela dava umas respiradas mais intensas, e vi que ela estava gostando muito daquilo. Durante estes movimentos, percebi pela lateral do corpo dela, que a toalha subiu um pouco, mas não deu para ver exatamente até onde. Apenas sei que ele ficou um bom tempo lá.

Quando ele foi trocar de perna e passou por mim, vi que uma nádega dela estava bem descoberta, com pouca toalha em cima. Ele realmente havia levantado a toalha com muita calma e precisão, pois foi quase imperceptível. Então ele passou a massagear a outra perna, e fez exatamente como na outra. Mas desta vez eu podia ver o que ele fazia. Cada vez que ele chegava perto da polpa, ele levantava mais a tolha. E depois de um certo tempo, a bundinha dela já estava à mostra. De leve, ele dava toques muito sutis na bucetinha dela, e a cada toque, ela dava mini tremidinhas.  Ao mesmo tempo, meu pau foi ficando cada vez mais duro, e eu tive que me ajeitar de novo. Mas desta vez com certeza ele viu, pois repetiu várias vezes os movimentos na região da bucetinha dela.

Leia também:  Contos eróticos: Combinado é combinado

Ele era tão bom, que aos poucos foi enfiando a calcinha na bundinha dela, e quando eu vi, era como se ela estivesse de fio dental. Era uma delícia ver aquilo. Ele então começou a fazer massagem nas nádegas dela. Apertava, fazia movimentos circulares, passava as mãos de forma forte e leve ao mesmo tempo. Encostava as costas das mãos de leve na bucetinha, e algumas vezes no cuzinho, com a ponta dos dedos. Dava para ver ele abrindo a bundinha dela a cada movimento. A respiração dela ficou cada vez mais forte.

Após um tempo fazendo isso, e vendo que não houve resistência nem dela, nem minha, ele afastou a calcinha dela, e começou a enfiar um dos dedos dentro dela. Com a outra mão, ele continuou a massagear a bundinha dela. Ela deu um gemido mais alto, e ele começou um movimento de penetração, tirando e colocando o dedo com mais força, até ela gozar. Rapidamente, ele foi até os pés dela e começou de novo a massageá-los. Olhando pra mim, ele tirou a calça e a cueca. Como não esbocei nenhuma reação, esse foi o OK que ele precisava.

O pau dele estava completamente duro. Era grande, porém não tão grosso. A cabeça ainda estava coberta pela pele. Então ele pegou os pés dela, e começou a passar no pau. Ela não se mexia, apenas obedecia os comandos das mãos dele. Foi quando ele colocou o pau entre os pés dela, e simulou uma punheta. Conforme ele fazia o movimento de vai e vem, a cabeça saia e entrava da pele, e o pau dele parecia crescer mais, se é que isso é possível.
Após fazer com que ela masturbasse ele com os pés, ele voltou a trabalhar a bucetinha dela. Ele passou a mão por baixo da calcinha, e a afastou de novo. Desta vez, enfiou dois dedos nela. Enquanto ela a penetrava com força, um dos dedos da outra mão foi se aproximando do cu dela. Aos poucos ele foi introduzindo, e assim que o dedo entrou inteiro, ela gozou novamente.

Nesse momento eu já havia colocado o pau pra fora e estava batendo punheta. A bermuda já estava no chão e eu fiquei apenas de camiseta.

Nisso, ele subiu na maca, e se posicionou em cima dela e tirou a camiseta. Ele passava o pau na buceta dela, fazendo que ficasse todo melado. A bunda dela ainda estava com creme, o que ajudou mais ainda na lubrificação da região. Sem dar nenhum sinal, sem nem um aviso, ele começou a enfiar o pau no cu dela. Ela colocou os braços para trás, tentando afastá-lo, mas ele nem ligou e continuou a forçar a entrada. Ela pedia para ele parar, mas ele fingia que não ouvia. Foi quando o pau dele entrou totalmente no cu dela e ela gritou.

Nessa hora, eu tive uma reação inesperada. Levantei, e fui até os dois. Mas não para ajudá-la. Eu fui até a cabeça dela, e segurei as costas dela na maca. Foi quando ele começou a comer ela. Ele metia gostoso, e dava pra ver o pau dele entrando e saindo do cu dela. Ela pedia por favor para ele parar, mas ele continuava bombando. Ele comia o cu dela com vontade, com força, e não demorou muito para ele tirar o pau e encher a bunda dela de porra, fazendo escorrer para a buceta.
Eu continuei segurando ela, e ele saiu de cima dela e foi se lavar.

Leia também:  Contos eróticos: Ménage feminino

Ela estava quase desmaiada na maca, sem forças e falando que não acreditava naquilo. Foi quando eu fui até a buceta dela, e comecei a chupar. O cu dela estava abertinho, todo vermelho. Então eu enfiei a língua para melhorar a sensação de dor. Eu passava a língua na buceta e no cu, misturando a porra dele nos dois locais. Ela então começou a rebolar, sentindo muito prazer naquilo. Chupei tanto que ela gozou na minha boca, cheia de porra do meu brother. Neste momento comecei a fazer carinho nas costas dela.

Quando ele saiu do banheiro e viu a cena, foi lá fazer carinho nela também. Então começamos a passar as mãos nela, bem devagar, enfiando os dedos dela, na buceta e no cu.
Ele então foi até o rosto dela, e colocou o pau na boca dela, ainda meio mole. Ela estava tão sem força, que o pau entrou fácil e foi ficando duro de novo. Então eu voltei a lamber o cu dela e enfiei a língua. Ela começou a chupar ele, e eu me posicionei atras dela. Comecei a enfiar o pau na bucetinha dela, que ainda não havia sido penetrada. Ela começou a gemer e eu fui metendo bem devagar, bem gostoso. Enquanto isso ele comia a boca dela. Acabei gozando meio rápido, e enchi a bucetinha de porra.

Saí de cima dela e ele a virou de frente, falando que estava louco de vontade de ver os seios dela. Ele falou várias vezes que eles eram lindos, e começou a passar as mãos neles, para depois chupá-los. Então ele puxou o quadril dela para a ponta da maca, abriu bem as pernas dela, e começou a passar o pau na entrada da buceta, que estava com a minha porra escorrendo de dentro dela. Então ele apoiou as pernas dela no seu ombro, e sem muito esforço, colocou o pau todo para dentro. Ela estava acabada, e apenas aceitou mais uma comida. Ele bombava bem gostoso, tirando quase tudo e metendo de novo com força. Ele fez isso até gozar na barriga e nos seios dela.

Ela ficou deitada lá, toda lambuzada de porra. E então, ela olhou pra mim e disse para eu ir limpá-la. Fui lambendo da bucetinha até os seios, deixando-a totalmente limpinha. Era a segunda vez que eu comia a porra dele.

Depois de nos limparmos, nos vestimos e ela deu um beijo bem gostoso na boca dele. Depois me disse: já que você fez isso, a partir de agora eu vou ser a puta que você sempre falou que eu era na cama. Vou dar pra quem eu quiser e chupar quem eu quiser. E você não vai fazer nada, porque você é corno e gosta.

Enviado por: reaper77

Quer ver seu Conto Erótico Real publicado na Revista Sexlog?
CLIQUE AQUI E ENVIE SUA HISTÓRIA PICANTE

Se você gostou deste Conto Grátis, comente aí…