Meu nome é Joel e tenho 38 anos de idade. Sou professor de natação, bem conhecido na cidade diga-se de passagem. Sou casado. Ministro aulas de natação para alunas e alunos que queiram participar de competições olímpicas. Sou conhecido por ser sério e bastante renomado, mas também por ser bastante querido entre aqueles que eu já ensinei. O fruto do meu trabalho já rendeu medalhas para os meus alunos em competições internacionais.

Quando Erica chegou na natação

A minha vida tem um giro quando eu conheço Erica, uma jovem menina de 19 anos de idade. Ela era uma moça que tinha um cabelo preto comprido, seios e bunda médias para grandes e coxas não muito grossas. Ela também tinha um sorriso que era bastante encantador.
Na primeira semana nem notei a presença dela, mas na segunda semana que eu dei aula para a sua turma percebi a sua presença e isso me deixou alucinado. Ela usava um maiô agarrado, onde dava para ver perfeitamente a sua bunda e a sua buceta. O seu maiô dava para ver o biquinho dos seus seios, que diga-se de passagem estavam sempre durinhos.

A menina era super carinhosa e educada. Me tratava com respeito e era super dedicada nas atividades que eu dava para turma. Tirava as suas duvidas e sempre procurava puxar qualquer tipo de assunto comigo. Era uma pessoa maravilhosa e extremamente querida pelos colegas. As meninas sempre procuravam estar junto com ela e os meninos quase saíam no tapa para ter alguma chance junto com ela.

Logo na terceira semana que eu comecei a dar aula para ela, ficamos bastante amigos. Ela chegava cedo para ficarmos papeando sobre a vida, pra me ajudar na preparação da aula e ficava até mais tarde para fazer um lanche comigo. A sua presença me agradava bastante, me deixava calmo e por isso sempre procurava ficar perto dela.

Quando a conheci, meu casamento estava passando por uma profunda crise. Tenho 15 anos de casado. No começo era uma maravilha, eu amava a minha mulher, mas depois ela começou a ficar muito rígida, controladora e bastante ciumenta. A crise só aumentou quando descobri que ela estava me traindo com um outro homem. Toda noite quando chegava em casa, brigávamos.

Devido a essa fase difícil da minha vida, eu procurava ficar sempre ao lado de Erica. Estava literalmente apaixonado por uma menina de 19 anos de idade e estava começando a pensar se deveria acabar com o casamento para viver um grande amor. Mas lembrava que a minha reputação iria ladeira abaixo se alguem soubesse que estava me relacionando com uma aluna tão mais nova que eu.

Uma aula diferente

Era quinta feira e dia de aula da turma que Erica fazia parte. Durante a aula, sempre ficava prestando atenção nela e estava desejando constantemente esta menina, mesmo sabendo que não podia ter nada com ela e se tivesse seria um romance proibido. Minha cabeça estava em outro lugar que até aceitaria viver este romance.

Esperei até o final da aula e sugeri para que nós dois nadássemos juntos na piscina. Como eu era proprietário daquele lugar, então poderiamos ficar o tempo que quisséssemos ficar. Ela adorou a ideia e caímos na piscina para nadar um pouco. Parecíamos dois jovens brincando. Jogávamos água um no outro, brincamos de lutinha e fazíamos competição de quem ficava com a cabeça debaixo d’agua mais tempo.

Ela sentiu uma dor na cintura e logo a agarrei por trás pra tentar ajudar. Ela ficou meio envergonhada e logo soltei a sua cintura, mas por um momento ela pediu para continuar, pois estava gostando do que estava fazendo. Continuei a segurar a sua cintura, mas neste caso estava agarrado a ela e bastante excitado. Meu pau estava quase querendo sair da sunga.

Senti o seu corpo quente e vi que ela percebeu que eu estava excitado. Fui empurrando ela de costas devargazinho na borda da piscina e tirei o meu pau duro de dentro da sunga. Estava uma pedra. Muito duro, latejando! Eu estava louco de tesão. Puxei um pouco o seu maiô e enfiei devargar todo o meu pau na bundinha dela. O seu cuzinho era bastante apertado e isso fez com que ela desse um grito bem alto.
Logo percebi a loucura que estava fazendo e parei na hora.

Ela me olhou e questionou o motivo de eu ter parado. Disse não estar acostumada mas que nunca tinha sentido uma sensação tão boa. Então, eu saí da piscina junto com ela e fui até a sala do exame médico com ela. Ela deu uma risadinha maliciosa e me perguntou se eu queria brincar de médico com ela.

Cheguei na sala, tirei o seu maiô e deitei ela em cima de uma mesa. Comecei a chupar os seus peitos e puxar os seus mamilos. Passei a língua lentamente na sua barriga para causar calafrios nela e depois comecei a chupar a sua buceta. Lambi o seu critóris até fazer com que ela gozasse. Ela disse que estava tendo a melhor sensação do mundo. Depois disso levantei e tirei a sunga. Ela sentou e começou a chupar o meu pau. No começo estava bastante acanhada com o fato de estar fazendo uma boquete. Mas fui fazendo carinho nos seus cabelos até que se sentisse confortável e com isso começou a chupar ferozmente. Depois eu deitei na mesa e ela deitou em cima de mim. Começamos a fazer um meia nove. Gozei na sua boca e pedi que ela não contasse a ninguém.

Leia também:  Contos eróticos: Meu marido viu minha foda na piscina

Ela disse que não contaria e ficou de quatro no chão. meu pau não abaixava! Comecei a penetrá-la por trás. Assim como ocorreu na piscina ela começou a gemer bem alto e cada vez que ela gemia alto eu tentava tampar sua boca e penetrava com mais força. Eu queria socar meu pau todinho no cuzinho dela. Depois de ter gozado dentro da sua bunda, ela pediu para que eu socasse na buceta. Assim como a sua bunda, ela estava apertadinha e a cada vez que eu penetrava lá ela gemia alto. Dizia que fazia tempo que não dava pra um pau tão gostoso como o meu!

Quando percebi que ela estava quase sem fôlego parei de meter. Ela veio até mim e me deu um abraço, dizendo que estava apaixonada por mim e queria ficar comigo.

Mesmo estando casado, disse que aceitaria, mas falei que tínhamos que esconder nosso relacionamento, pois namorar aluna mais jovem do que eu poderia arruinar a minha profissão. Ela disse que tudo bem, que toparia o nosso segredo desde que eu continuasse transando com ela daquele jeito safado.

Cheguei em casa e como costume tive uma briga bem feia com a minha mulher. Não aguentei mais e disse que iria largar dela e que tinha acabado de transar com uma mulher bem mais interessante do que ela. Ela começou a chorar e eu fui embora de casa, viver um romance com Erica e ser feliz.

No dia seguinte da transa entre eu e Erica, a jovem moça que eu estava apaixonado chegou na academia e disse que tinha uma coisa muito importante para contar para mim. Ela disse que nunca tinha transado na sua vida e que adorou ter tido relação sexual com alguém mais velho do que ela. Erica estava se sentindo uma mulher completa e isso me deixava bastante feliz.

Erica disse para mim que apesar de ter transado apenas uma vez, ela disse que tinha varias fantasias sexuais para serem realizadas e que queria que eu as realizasse. Fiquei meio surpresso de início, mas concordei com o que ela tinha pedido, dando uma risadinha e olhando para os seus olhos. Como resposta ela me deu um beijo na boca, ardente, daqueles de tirar o fôlego!

As moças da outra turma de natação

A aula aconteceu novamente, mas tive uma surpresa um tanto que curiosa. As meninas desta turma se organizavam para realizar uma suruba entre elas. Como curioso que sou, procurei um modo de espionar o que elas estavam fazendo e tive uma agradável surpresa. As quatros meninas que faziam aula comigo estavam se pegando dentro do banheiro.
Seus nomes eram Ana Clara, Regina, Fernanda e Gabriela. Ana Clara tinha 18 anos de idade. Era um menina loira, 1,66 de altura e tinha peitos e bunda médios. Regina tinha 19 anos de idade, era morena com cabelos pretos, tinha seios e bunda grandes e 1,70 de altura. Fernanda também tinha 18 anos de idade, igual Ana Clara. Ela tinha cabelos encaracolados pretos e seios e bunda grandes. Já Gabriela tinha 20 anos, tinha o cabelo curto preto, 1,72 de alturas e bunda e peitos muito grandes.

Ver as quatros se pegando foi uma cena inesquecível para mim. Eu estava no céu! Comendo Erica e agora assistindo aquelas 4 beldades se pegando ali na minha frente!

Ana Clara e Fernanda estavam deitadas no chão do banheiro, enquanto Regina lambia os peitos de Fernanda e Gabriela estava lambendo a Buceta de Ana Clara. Regina foi descendo a barriga de Fernanda até chegar na sua buceta, fazendo com que sua colega de turma gemesse de tanto tesão. Enquanto isso, Gabriela começou a chupar os peitos de Ana Clara. Ficaram 10 minutos, até que as mais velhas se revezaram, Gabriela com Fernanda e Regina com Ana Clara.

Eu estava de pau duro vendo aquela cena. Estava explodindo na bermuda. Só conseguia pensar que Erica iria gostar de estar naquele meio e que eu amaria vê-la com as amigas.

Depois de ver as mais velhas chupando as mais novas, foi a vez das mais novas chuparem as mais velhas. Ana Clara estava chupando os peitos de Regina, que pressionava a sua cabeça e a Fernanda estava lambendo a buceta de Gabriela. Ana Clara começou a beijar a barriga de Regina, até na buceta e Fernanda começou a lamber os peitos de Gabriela. Olhando aquela cena não resisti, tirei o pau pra fora da bermuda e bati uma senhora punheta vendo aquelas minas fazendo aquilo. Me imaginava no meio delas e a gente se divertindo!

Saí do local dos banheiros e fui ao encontro com a Erica. No carro contei a cena que eu vi entre as amigas e ela adorou. Ela disse que tinha vontade de ter outras garotas quando ela fosse transar junto comigo. Eu tinha adorado a ideia dela e pensei num meio em convencer que elas fizessem aquilo com a gente.

Leia também:  Contos eróticos: Comi minha amiga no camarote da balada

A minha vida com Erica era mais ou menos normal, com a diferença de que era um cara bem mais velho. Tirando esse pequeno detalhe, nos comportávamos como um casal romântico como outro qualquer. E isso me deixava bastante feliz, porque me trazia uma paz de espírito como nunca tinha me trazido antes.

Namorávamos às escondidas no parquinho, como dois adolescentes medrosos que tinham medo de que nossos pais descobrissem. Íamos ao cinema juntos, tomávamos sorvete juntos e sempre buscava ela no curso para irmos almoçar. Diferente da minha ex-esposa, ela era sempre muito carinhosa e gentil comigo, dava todo espaço pra mim e eu respeitava a sua liberdade.

Ela contou que veio de uma familia bastante conservadora, que lhe reprimia bastante. Contou também que queria ser psicóloga e que o seu maior sonho era de viajar pelo mundo. Ela disse que antes de mim, nunca tinha tido um namorado e que se sentia bastante amada. Eu era uma pessoa com quem podia contar para sempre.

A cada dia que passava, me apoixanava mais por ela. Pelo seu olhar, pelo seu sorriso doce que me trazia tranquilidade, pela sua pele lisinha e principalmente pela sua voz. Antes de conhecê-la vivia deprimido, amargurado e com bastante ansiedade. Depois dela, parece que todos os meus problemas haviam acabado. Costumava ir muito ao psicólogo para procurar ajuda, mas hoje nem preciso ir mais lá.
Eu queria o melhor pra ela. Então vira e mexe costumava dar presentes para ela, flores e até programamos uma viagem juntos. Era sempre antecioso, gostava de pegar na sua mão quando ninguem olhava e sempre fazia muitos elogios para ela. As pessoas falam que a mulher consegue transformar um homem … elas tinham toda a razão do mundo!

Nós 6!

Era sexta-feira, dia de dar aula para a Ana Clara, Regina, Fernanda e Gabriela, as minas que transaram no banheiro na aula passada. Como eu tinha prometido para a Erica que chamaria elas para transar com a gente, então eu fiquei pensando em qual seria a melhor maneira de convencer estas meninas a viverem uma aventura junto comigo e minha namorada.
Estava dando aula para elas, quando a Erica chegou e ficou vendo a minha aula. As quatros meninas que estava na aula pararam tudo o que estavam fazendo e ficaram admirando a Erica. Percebi que elas estavam de olho na Erica, mas para disfarçar dei uma bronca nas quatros e pedi para que elas prestassem mais atenção dentro na aula.

Quando a aula acabou chamei as quatros de canto e disse que queria conversar muito sério com elas. Quando comecei a falar que tinha visto elas transarem no banheiro, vi a cara da Ana Clara e Regina de desespero. Mas logo tratei de acalmá-las. Chamei a Erica e perguntei se elas gostariam de transar com a gente. Todas toparam na hora o convite e se direcionaram para a salinha de atendimento médico. Era uma emergência rsrs

Chegando, as quatros meninas tiraram o maiô de Erica e começaram a lamber ela. Todinha! O meu pau endureceu como nunca. Erica peladinha e as 4 minas usando seu corpo. Uma estava lambendo um seio, a outra o outro e uma estava chupando a sua buceta. A ultima estava dando um beijo de lingua em Erica. Eu estava apenas batendo uma punheta, vendo aquela cena daquelas 5 mulheres maravilhosas se pegando.

Fiquei assustindo um tempo e daí pedi para Erica e a Regina deitarem na mesinha e subi em cima da minha namorada e comecei a chupar os seios dela. Enquanto isso, masturbava Regina. Fernanda, Gabriela e Ana Clara estavam beijando na boca uma da outra. Depois eu subi em cima de Regina e comecei a chupar um de seus seios, enquanto Erica ficava chupando o outro. Chupei os peitos de todas as meninas que estavam ali.

Erica abriu as suas pernas e pediu para que eu chupasse a sua buceta para as minas verem como eu era bom com isso. Enquanto eu a sugava, Ana Clara dava beijos de lingua nela e puxava os seus bicos, deixando a minha namorada muito excitada. Enquanto isso, Regina chupava a buceta de Fernanda e Gabriella batia uma siririca vendo aquela cena excitante. Assim como fiz antes, fui chupando a buceta de cada uma, deixando todas bem molhadinhas. Elas estavam loucas por pau! Todas queriam dar pra mim.

As quatros tiraram a minha sunga e todas, inclusive a Erica estavam chupando o meu pau. Elas revezavam sedentas! Regina pegava o meu pau, enquanto Ana Clara, Fernanda e Gabriela lambiam ele todinho, até minhas bolas! Erica colocava o meu pau na boca e a sua cabeça era empurrada por Regina, a mais safada entre as quatro. Regina e Fernanda esfregavam os seus seios, no meu pau, que estava uma pedra de duro. No final das contas acabei gozamdo na cara de Erica, que ficou toda melecada com minha porra. Aquilo atiçou as outras. Elas também queriam leitinho!

Erica ficou de quatro e comecei a meter na sua bunda. Mas desta vez, aquela mulher doce virou uma devassa que rebolava forte no meu pau. Enquanto isso, Ana Clara, Fernanda, Gabriela e Regina se revezaram para lamber a sua buceta fazendo com que ela gozasse. Um minuto depois que Erica gozou, eu nao estava aguentando e gozei dentro da sua bunda. Depois disso, meti na bunda de cada uma das meninas que estavam ali. Foi uma delícia. Experimentei os 4 cuzinhos.

Leia também:  Contos eróticos: Duas Mulheres e uma Tarde Nublada

Por fim, Erica abriu as pernas e eu soquei com força dentro da buceta dela. Ela estava insaciável aquele dia! A safadeza das minas a incentivou! Fernanda e Gabriela estavam chupando cada um de seus seios e a Ana Clara estava dando um beijo de lingua na minha namorada. Regina que estava batendo uma siririca vendo aquela cena, resolveu dar tapinhas de leve nos peitos de Erica. Depois de gozar em Erica novamente, meti na buceta de cada uma. Quando eu meti dentro de Ana Clara, eu gozei.

Depois de transarmos, tomamos banho na ducha e nos vestimos para irmos embora. Pedi para as quatros meninas que elas não podiam contar o que rolou e muito menos o que estava rolando entre mim e Erica. Elas concordaram o trato e pediram para que fizessemos outras festinhas como aquela que acabou de acontecer.

Novas experiências, novos resultados

Conversando com Erica, ela sugeriu que eu fosse visitar a sua família e me apresentar como amigo. Eu achei a ideia muito boa, pois afasta de qualquer dúvida da familia sobre a minha pessoa e a gente podia ter o nosso relacionamento em paz.

Era quinta feira, dia que eu dava aula para Erica. Estava com frio na barriga, sem muito o que dizer para ela. No final da aula ela me disse que iria preparar algo muito especial para mim. Iríamos ter uma noite que eu nunca mais iria esquecer.

Ela disse que queria ir para a minha casa passar a noite lá. Seus pais foram viajar para o exterior e ela ficou pois estava em aula. Então ela colocou uma saia curta, tirou a calcinha e sutiã e foi para a minha casa passar a noite lá. Chegando em casa jantamos e bebemos algum drink.

Indo pro meu quarto, ela tinha dito que estava sem calcinha e que queria dar para mim. Cheguei no meu quarto, pedi para ela deitar e levantei o seu vestido. Comecei a lamber sua buceta de todas as formas. Erica que se contorcia de tesão, me segurou com as pernas e me empurava com a cabeça. Depois tirei a parte de cima do seu vestido e comecei a lamber seus seios e puxar os seus mamilos.

Tirei a calça e Erica começou a chupar o meu pau. Colocava ele todo na sua boca, parecia que ia se engasgar com ele. Enquanto ela chupava, eu empurrava a sua cabeça até conseguir gozar dentro da sua boca. Depois ela deitou em cima do meu corpo e novamente começou a chupar meu pau. Enquanto isso, estava lambendo a sua buceta, deixando ela toda molhadinha.

Ela ficou de quatro na minha cama e começou passar a sua bunda perto do meu pau. Não aguentei e penetrei com tudo no seu cuzinho. Ela deu um grito e se contorcia no meu pau. Ela levantava e abaixava diversas vezes me deixando com vontade de gozar dentro dela. Ela saiu do meu pau e abriu as pernas para mim. Comecei a meter naquela buceta que estava raspadinha fazendo com que Erica respirasse ofegante até gozar dentro dela.

Depois disso fomos tomar um banho, transamos mais um pouco e fomos dormir. Estávamos agarradinhos. Exaustos de meter. Dromimos. Quando acordamos, dei um beijo nela e a levei para o curso e depois fui para a escola de natação.

Certo dia estava no shopping de beijos com Erica, quando a amiga de sua mãe viu que a sua filha estava namorando alguem que era muito mais velho do que ela. Dava para perceber que o rosto de Erica era de pura preocupação. Ela pediu para que fôssemos para a praça de alimentação, esperar que a moça fosse embora. Fui levar ela na sua casa e como fofoca roda na velocidade da luz, sua mãe estava me esperando na porta. Fingi que não era comigo, mas ela me chamou e tive que entrar dentro da sua casa. Logo vieram as perguntas rotineira que todo pai e mãe faz para o namorado. Mantive a calma e respondi todas as perguntas que ela me fez.

Ela contou uma historia que me deixou aliviado. Ela disse que quando tinha 18 anos de idade, ela namorou um professor de matematica que tinha o dobro da sua idade. Assim como eu e Erica, eles também mantinham relação sexual e que sua mãe descobriu e proibiu que eles se encontrassem. Disse que é frustada por isso até hoje e não queria isso para a filha.

Ela disse que se isso for o bem de Erica, ela daria o aval para nosso namoro e não precisaria se preocupar em esconder uma paixão que era tão bonita. A mãe de Erica percebeu que a sua filha estava mais feliz, se arrumava como uma mulher e que principalmente estava mais madura. Ela estava feliz, porque percebeu que apesar de ser mais velho, a sua filha estava envolvendo com um bom homem.
Passou uma semana, resolvemos abrir o jogo para todo mundo que nos conhecia que estávamos namorando. No começo houve um certo espanto, mas depois compreenderam que éramos um casal muito feliz como pouco que se via por ai.

Enviado por: Joel