Fazer sexo de forma acelerada, a famosa “rapidinha”, não precisa ser aquela coisa “pá-pum” e rotineira. A gente sabe que a prática sexual veloz, quando repetida muitas vezes, pode até revelar uma falta de tesão no relacionamento, mas não se assuste! A rapidinha tem sim o seu valor! Além disso, ela pode servir como “aperitivo” para outras experiências mais picantes e demoradas em seguida – já ouvi falar, por exemplo, do exato oposto à rapidinha, o slow sex?

Por isso, selecionamos aqui algumas dicas que vão fazer a sua próxima rapidinha ter o equilíbrio ideal entre tempo e prazer. Confira!

Pegue o parceiro de surpresa

Talvez ela não esteja esperando por uma transa enquanto está no banho se preparando para o trabalho, ou ele também pode ser pego desprevenido enquanto está cozinhando. Já pensou em chegar com tudo bem nesses momentos? Afinal, tem horas que um susto é muito bem-vindo, né?

Chegue preparado

Às vezes acontece de o entusiasmo do momento não ser suficiente ou não durar muito para manter a ereção ou a lubrificação durante todo o ato. Para não correr esse risco e garantir alguma ação, que tal se masturbar antes e já comparecer pronto para a ação?

Preliminares com qualidade

Ainda que aqui o foco não seja o aquecimento, vale a pena pensar nas carícias e movimentos mais “eficazes”, que vão dar conta de te excitar e excitar o parceiro de forma mais rápida.

Tirar a roupa, pra quê?

Transar ainda vestido pode ser muito excitante, sim! Quando você e o parceiro esquecem de se despir, é como se a vontade fosse tão grande que não há tempo para perder. Além disso, se vocês sempre fazem sexo totalmente sem roupa, manter as vestimentas pode dar uma sensação de novidade.

Inove nas posições

De pé, sentados, de quatro… Há uma grande variedade para experimentar! Atenção só ao seguinte: não é tanto a hora de provar aquela posição mais arriscada que vocês nunca tentaram antes, já que alguma complicação pode atrapalhar o frenesi do momento, que é “apenas” o elemento base de uma rapidinha.

A vergonha fica longe!

Por mais que a “proposta” seja a velocidade, numa rapidinha há espaço para muita coisa, mas não para a vergonha! Não hesite em pedir mais velocidade, pressão, carícias e até mordidas do parceiro. Do mesmo modo, tente novos movimentos em locais nunca antes explorados. Só tome cuidado com os mais radicais – para esses, combine antes com o parceiro!

Verbalize

Botar para fora o que você está sentindo ou o que você quer que o parceiro faça pode esquentar ainda mais o clima e, melhora ainda, fazê-lo ir direto ao ponto para que você aproveite mais o momento. Continua valendo a dica aqui de cima: nada de vergonha!