Eu sou catarinense, 1,65m, branquinha, loira (natural), magrinha de cintura fina e por isso os meus seios ficam em evidência. Adoro meus seios, são bem firmes, até hoje posso por um lápis embaixo dele que não fica preso, minhas amigas morrem de inveja! Risos. E adooro fio dental, sério gente. Eu só tenho calcinha e biquíni assim. E agora vou contar como adquiri essa preferência e também como foi a minha primeira vez.

Em 1997, cursava o último ano do ensino médio e, apesar de não ser tão novinha, eu ainda era virgem. Mas eu já sabia muito bem o que era um contato mais íntimo, pois já tinha feito sexo oral e recebido mamadinhas nos seios e mão boba na xaninha.

Como é o costume, tem a festa de formatura e queria um vestido bem legal, que valorizasse o meu corpo – entenda sexy. Fui às compras com minha irmã e várias lojas e vestidos depois, acabei encontrando uma que me agradava. Como ele era de cetim, marcava muito a minha calcinha (na época eu usava essas tradicionais), então a vendedora, vendo que eu tinha gostado do vestido e para não perder a venda, me mostrou uma calcinha fio dental branca. Era a primeira vez que via uma desse jeito…Era só os fiozinhos mesmo, atrás formava um “T” (semelhante à essa da foto) e na frente era um triângulo mínimo, imaginem uma calcinha pequeninha!

Leia também:  Contos eróticos: Saindo por acaso com um desconhecido

Eu fiquei meio em dúvida, mas tinha gostado. Comprei o vestido e a calcinha fio dental. Era final de ano, já sem compromisso com as notas, pois tinha passado, resolvi por a calcinha pra ir à escola… Escondido, é claro. Eu estava me sentindo a verdadeira puta, usando uma minissaia, camisetinha do uniforme e a minha calcinha pequenininha fio dental…

Como vocês devem imaginar, eu tinha uns ficantes na escola e, claro, chamei o mais gatinho pra ir dar uma volta no pátio (lá tinha um ponto oficial de amassos). O garoto aproveitou que tava “doidinha” e passou a mão em tudo quanto foi lugar. Voltei para a sala toda vermelha, eu estava com um fogo que não dá pra imaginar.

Fiz essa travessura mais três vezes até terminar as aulas. Quando chegou o dia da minha formatura, fui ao salão, estava me sentindo a mulher fatal com meu vestido longo, justo, decotado e por baixo só a minha minúscula calcinha.

Na cerimônia tudo rolou bem, mas quando começou a festa mesmo… Veio um moreno que eu já tava trocando olhares e me tirou pra dançar… Eu estava me sentindo hiper sexy com aquela produção e o cara era um gatinho, não deu outra! Meus pais já tinham ido embora porque meu irmão caçula estava chorando, então fiquei só eu, minha irmã e o namorado dela. Como minha irmã nem dava a mínima pra mim, fomos eu e o moreno procurar um local mais tranquilo.

Leia também:  Contos eróticos: Presente de aniversário

Eu já tinha sido bolinada antes, mas ele parecia que tinha quatro braços, sério! Eu sempre sentia uma mão e o beijo então?!? Uma loucura. Ficamos nisso e lá pela madrugadona, com a festa mais vazia fomos para um depósito, e lá o safado ergueu o meu vestido e tirou minha calcinha de lado. Foi a primeira vez que eu recebi um oral, que delícia!!! Já tinha feito em vários meninos, mas nunca tinha recebido. A partir daí não tinha mais volta.

Depois de receber uma deliciosa chupada na xaninha, resolvi retribuir e abri a calça dele. O pau dele saltou pra fora de tão duro e comecei a chupar aquele pau moreno delicioso. O safado gemia e eu adorando… Não demorou e ele anunciou que ia gozar. Eu continuei chupando, afinal, tinha adorado o oral que ele tinha feito e queria retribuir… Ele gozou na minha boca, escorreu e engoli. Era muito gozo.

Ele voltou a sua atenção pra mim e começou a mamar os meios seios e masturbar, gente eu tava subindo pelas paredes e pedi pra ele me comer… ele me ajeitou deitada em um monte de toalhas de mesa e colocou a camisinha e começou a meter. Gente, que dor…. Ele foi com calma e carinho, mas doía hein.. Só que eu tava decidida a sair dali mulher, queria dar de qualquer jeito.

Quando ele rompeu meu hímen eu gritei, mas aí a dor começou a diminuir e eu pude aproveitar melhor. Ficamos lá um tempão. Quando saímos, a minha irmã estava me procurando e percebeu o que tinha rolado. Ela me chamou a atenção, mas deu apoio, afinal ela também achou o rapaz um gato.

Leia também:  Contos eróticos: Irene, a safada da vizinha recatada

Foi assim que perdi a virgindade e comecei a gostar de fio dental. Depois disso, passei a comprar cada vez mais calcinhas assim, até não ter mais nenhuma dessas tradicionais grandonas. E claro que também continuei transando…. Eu contarei mais em breve. Espero que tenham gostado! Beijos, Nicole.

Conto enviado pelo sexlogger mat_grosso.

 

Quer ver sua história picante publicado na Revista Sexlog?
CLIQUE AQUI E ENVIE SUA HISTÓRIA

Conta para nós o que achou deste Conto Grátis, comenta aí